quarta-feira, 5 de maio de 2010

Velhinhos de banco

Como quem me segue no twitter (@biancanazari) já me viu comentando, quarta feira passada meu carro foi apreendido pela polícia.

Pela primeira vez na vida um guarda me parou e eu e ele juntos descobrimos que o documento do meu carro estava vencido havia 9 meses. Até aí normal, quem pagava o documento todo ano era o Luiz (meu pai 2), e tudo bem que eu tinha que ter checado e tal, mas não chequei, e nem ele pagou, então bora guinchar o carro pra ele dormir no pátio da polícia.

No meio de todo o rolo do carro sendo guinchado e eu sem saber o que fazer, surgiu um grande ponto de interrogação na minha cabeça: como é apropriado vc chamar um guarda?
"Seu guarda" parece que vc tá num filme pornô ou senão que vc é aqueles favelados, "Ô SEU GUARDA". "Moço" é estranho, pq, afinal, ele é mais que um moço, ele é um oficial da justiça. Chamá-lo de moço rebaixa o nível dele! 
Por nome não dá, pq no uniforme dele só vem escrito o sobrenome. Vou chamar o cara de "Oliveira"? "Oliveira, como vou pra casa agora sem o carro?"
"Senhor" funciona, mas não pra começar a frase. Tipo, "Senhor, tem certeza que o documento não tá atualizado MESMO?" ?
Não, não. Eu fiquei chamando ele de moço no máximo da vergonha, pq não sabia outra forma de me referir ao policial. Tipo, a hora que ele veio assim "Então, moça, eu preciso de uns dados seus, pq o carro vai ser guinchado..." - logo depois de meus olhos terem saltado 4 cm pra fora das órbitas - eu "falei" com uma voz umas 3 oitavas acima do normal, "COMO ASSIM MOÇOOOOOO??" e só depois que descobri que chamei ele de moço. Mas é verdade! Qual é o nome apropriado pra chamar uma autoridade do trânsito?

Olha, vou te dizer, é uma experiência no mínimo desgastante vc ter o carro apreendido. E é no mínimo REVOLTANTE ter que pagar as mil coisas que vc tem que pagar pra tirar o carro de lá. Não acredita?
Primeiro que vc paga o guincho pra levar seu carro até lá. R$141. Além disso, vc tem que pagar a insignificante quantia de R$4,60 POR QUILÔMETRO que o guincho anda do ponto onde seu carro foi preso até o pátio. Quer dizer, se seu carro foi pego na estrada, salci-fufu, pq vai ser um rolé até o pátio mais perto. Aí vc paga a diária do carro no pátio, R$36,80 (foram dois dias). Aí vc tem que pagar a multa, que só cai no fim do mês, e lógico, a atualização do documento do carro. Não tem como vc tirar o carro de lá com o documento vencido! Boo-hoo...

Mas juro - e sem ironia dessa vez - no auge da minha raiva, ainda achei que os policias foram todos muito educados, muito cumpridores dos seus deveres e muito solícitos, viu. O que apreendeu meu carro até pediu "desculpa, qualquer coisa". Não esperava isso não. O policial que trabalhava no pátio brincou comigo e com meu namorado, saiu de lá chamando meu namorado de Dé. Só faltou convidar a gente pra fejuca na casa dele domingão!

 Realmente, somos uma raça injustiçada. Apesar da arma.

E realmente, quem tava errada era eu mesmo, pô, não pode andar por aí com o documento do carro sem estar em dia. Aliás, tem que andar com o carro sempre em dia. SEMPRE. Senão a conta que vc tem que pagar depois é de chorar, meu amigo, DE CHORAR!

Eu nem ia falar sobre isso, mas serviu de prévia pra minha real revolta.

Por causa do rolo do carro, eu tive que ir ao banco pagar o que tinha que ser pago pra liberar o carro. E ir ao banco não é tarefa pra qualquer um, não. Fui lá, enfrentar uma filinha básica. O André me levou de moto e a gente chegou 10 minutos antes de abrir a parte do atendimento ao público. Já tinha uma filinha lá, então ficamos esperando.
Se na fila tinham 15 pessoas, com certeza umas 9 eram velhinhos ou velhinhas. No mínimo! Os velhinhos adoram ir ao banco. Eu sei pq a minha avó AMA ir ao banco. É um passeio daqueles! Com direito a passar base e colocar AQUELE broche todo brilhante, pras velhinhas, e um chapéu bem dos arrumados, e a bengala especial, pros velhinhos.
Mexer nos botões do caixa eletrônico, oba! Controlar a conta, mal posso esperar! Caiu a aposentadoria? Vamos checar! ...Bem assim....
Eles até se conhecem nos bancos, é muito engraçado. "ô rapaz, vc por aqui?" "é, vim ver o negócio da conta, e vc?" "ah, vim depositar um dinheiro. E aí, como andam seus netos?". É uma camaradagem sem igual!
Sem falar que sempre tem um problema de saúde que entra no meio - mas isso a gente vê daqui a pouco.

Entenda que a gente (eu e o André) tinha saído da faculdade, então eu tava com uma bolsa enorme e ele com a mochila dele, e cada um segurando um capacete.
E ia entrando gente na fila, e a gente lá esperando. Se fossem velhinhos muito velhinhos a gente deixava passar na frente, como bons jovens cidadãos que somos.

Aí abriu lá dentro, começou a entrar gente pela porta giratória detectora de metais. A hora da porta detectora de metais é uma guerra. Todo mundo quer chegar primeiro, pq aí vai ser atendido primeiro. Mas o grande "catch" é que é uma guerra SILENCIOSA. Todo mundo quer chegar primeiro, quer passar na frente do outro, mas discretamente e sem se estapear, que aí já vira falta de educação nééé. Se for discretamente não é falta de educação, ou assim as pessoas pensam.

 Maldita.

Chegando na nossa vez, o André foi querer entrar com aquela gigantesca mochila, e a porta travou. Ele voltou pra ver o que tinha de metal na mochila e como tinha umas 374284632 coisas de metal, ele resolveu esperar lá fora mesmo. Nisso passaram umas 3 pessoas pela porta, na nossa frente, enquanto a gente solucionava o problema.

Aí eu fui tentar passar, com a minha pequenina bolsa do dia a dia, uma megamaxibolsa onde deve ter até tupperware do mês passadom, e maquiagem vencida perdida lá no meio. Lá dentro também tinha mais metal que o permitido, então eu também tive que voltar pra deixar a bolsa com o André e só entrar com o dinheiro pra pagar as coisas. Nessa passaram umas 5 pessoas na minha frente.

Lá dentro do banco, perguntei pro guarda onde pegava senha pro caixa, e ele de muita boa vontade indicou com a cabeça assim "Ali ó". E eu fui lá mais ou menos onde ele me indicou, e tive que voltar, pq não tinha enxergado ainda onde era o raio do lugar de pegar senha. Mais 1 pessoa passando na minha frente.

Quando consegui pegar a minha senha, eu era a número 8. OITO. Sendo que tinham uns 14 velhinhos antes de mim, com caixas preferenciais, e as 7 pessoas normais que chegaram antes de mim. E dessas pessoas, umas 5 foram as que passaram na minha frente enquanto eu solucionava meus problemas.
Nenhuma pessoa teve a educação de me esperar pra tirar os metais da bolsa, que levou cerca de 15 segundos. Todos passaram na minha frente em questão de 3 bobeadas básicas. E assim perdemos a guerra do cheguei-primeiro-não-passe-na-minha-frente.

 Os vencedores fdp

Os velhinhos têm atendimento preferencial, como eu disse. E eu acho certíssimo os velhinhos terem caixa preferencial, lugar pra estacionar mais perto, atendimento mais rápido e tudo o mais. Só que tem uns velhinhos MUITO FOLGADOS que tiram proveito da situação! Eles passam na frente até de outros velhinhos que estão, às vezes, muito piores que eles!

Eu sentei, e tava só vendo o circo que ia ser o atendimento no caixa. Pra esperar a minha vez sentada, sentei do lado de uma velhinha daquelas bem perdidas que gostam de conversar.

Eu não sei pq raios velhinhos de todo o planeta adoram uma conversa. Eu gosto uma conversa também, mas eles AMAM uma conversa! Qualquer chance de puxar um assunto com a pessoa do lado é uma satisfação sem igual!
O problema de puxar assunto, é que nunca é um assunto tipo "Filha, que horas são?" ou senão "Vc acha que vai demorar muito?" ou senão "Pode ler o que está escrito aqui pra mim?". Não. O assunto dos velhinhos do banco são sempre aqueles assuntos onde vc não tem o que vc dizer! E eles não te deixam espaço pra dialogar, é um monólogo. Vc só tem que ficar parado escutando. É muito frustrante! Segue o diálogo com a velhinha que estava sentada ao meu lado.

- Ai que sorte, fia, que eu cheguei cedo hoje no banco.
- É né...
- Hoje eu consegui vir, pq ontem não dava, sabe, eu tava com o fígado ruim - lembra que eu falei dos problemas de saúde? -, internada no Hospital Santa Isabel - sabe onde é, na avenida ali- , aí não tinha como eu vir pegar o pagamento, pq é complicado, se passa de um dia aí vc não consegue vir pegar...
- Pois é, que...
- ...é, mas aí o dotô me liberou e mandou eu comprar uns remédios caaaaros, fia, aí eu vim pegar o pagamento no INSS, tem que ver se eles já me liberaram. Que dia é hoje?
- Dia 28.
- Ai que sorte, fia, hoje já deve estar aí o dinheiro, pq eu tenho que comprar os remédios que o dotô indicou pro meu fígado..
- Putz que ch...
- Ah pq num dá viu fia, é complicado, a gente fica véia e começa a ter pobrema de tudo, e não tem ninguém pra ajudar a gente na hora de...

E eu tive que cortar a pobre velhinha com problema no fígado, pq a senha dela tinha chegado, e ela nem tinha notado. Tava mais afim de conversar do que realmente de pegar o dinheiro pra comprar os remédios caros que o dotô havia indicado. Dureza.

 É a sua vez, senhora.

Mas aí que entram os velhinhos folgados. Tinha umas 5 velhinhas ou velhinhos esperando, de posse de suas senhas preferenciais, na fila preferencial, para serem chamados. Aí começa a entrar umas velhinhas, junto com umas gordas barraqueiras (sempre tem uma gorda barraqueira) que vão direto pro caixa contar o problema pro pobre moço que não tem nada a ver com a história. Aí a gordinha quer que o caixa resolva o problema delas, sendo que elas não pegaram a senha.
E tinha um senhorzinho lindinho, de chapéu, esperando pra ser atendido, todo educadinho. DE CHAPÉU! Aí chega a gorda barraqueira sem-educação e quer cortar a fila pq ela tem um problema que é maior que o do velhinho. Como ela sabe?

 É, como ela sabe?

E o caixa, coitado, tentando explicar que ela tinha que pegar senha, e a gordinha lá, "NÃO, pq eu tô com esse problema, se eu não pagar isso hoje...", e o caixa "...Minha senhora, se vc pegar a senha..." e ela, "mas é rapidinho".

Aí eu levantei e gritei bem alto:

- Ô MINHA FILHA, O VELHINHO DE CHAPÉU ESTÁ NA SUA FRENTE! ELE É SIMPÁTICO E TEM MAIS PROBLEMAS QUE VC! E SE VC TEM PROBLEMAS COM ISSO, ENTÃO VAMOS ACERTAR LÁ FORA!

Aí eu acordei do meu devaneio. 

E, finalmente, depois do meu esporro imaginário, a gordinha vai pegar a senha. E entra uma velhinha (que nem era tão velhinha, devia ter lá seus 62 anos), que veio do balcão de informações, pra pagar a conta dela. E o velhinho de chapéu sem dizer nada, só esperando! E o caixa, mesma coisa "Senhora, a senhora tem que pegar a senha...blablabla". E a velhinha furona achando que tinha mais poder que todos os outros velhinhos sentadinhos educadinhos.
Ô que raiva de gente sem educação! Que raiva da gordinha e das velhinhas que vão entrando na frente dos outros velhinhos mais necessitados! E que raiva da Bianca vendo tudo sem dizer nada.

Mas tudo bem, vai, os velhinhos sem educação eu até perdôo, pq o banco hoje em dia tem muita tecnologia, vai que eles não sabem lidar com ela. Retirar senha aqui, esperar sua vez e tal. É difícil, pensa que não?

Eu só quero ver quando eu ficar velhinha. Sei que puxar assunto com as pessoas não vai ser muito difícil. Ou quero só ver quando eu ficar gorda. Aí talvez eu ganhe, junto com a gordura, a cara-de-pau. Será que viro uma gorda-barraqueira ou uma velhinha sem-educação? Fica a dúvida.

7 comentários:

  1. Biiiii, o link tá lá no meu blogroll, amey aqui!!!

    ResponderExcluir
  2. Cara, muito o grande o post, depois termino de ler tudo, soh li a parte da apreensão do veículo. E sim, a melhor maneira para se chamar um policial é "Senhor"! JAMAIS chame algum policial de "Seu guarda"! E quando tratar com o delegado, sempre dispense o termo "Doutor". Depois eu leio o resto

    ResponderExcluir
  3. Não é que o post é grande, é que o espaço pra escrever é muito "fino" hahaha

    ResponderExcluir
  4. Muito bom, dei muitas risadas! É assim que se 'constrói' uma grande escritora, exercitando a palavra (e a graça)... acredito que, mais do que a música, a imagem, nas quais vc é muito boa, a palavra é a sua arte. bjo

    ResponderExcluir
  5. Ai, adorei seu post... li inteiro, JURO.
    Fiquei dando risada com suas fotos ilustrativas no meio do post.

    e fiquei com muita saudade de ter meu blog pessoal de volta :D

    ResponderExcluir
  6. Oi Bianca! Que bom que voltou pra blogosfera! Vi que vc tah fazendo uns posts sobre moda e beleza tbem, acho super!!!

    Quanto ao jeito certo de chamar o guarda.... Precisa nem chamar, eles chegam sem a gente pedir! ahuehauehauea...

    beijos.

    ResponderExcluir
  7. Adoreeeeeeeeeei a foto da velhéinha de coroa de princesa hahaha

    ResponderExcluir

Comente e faça uma blogueira feliz :)

Share it